Blog

Safra de café: falta de chuva deve comprometer 20% da produção

As principais áreas produtoras de café no Brasil vêm sofrendo com a falta de chuvas em momentos cruciais para garantir a produtividade. Em 2020, a estação mais seca se prolongou e a florada que era para começar em setembro acabou ficando para outubro. As temperaturas altas neste início de ano também aumentaram o stress hídrico nos cafezais. Neste post vamos fazer um balanço dos efeitos do clima na safra de café e também dar dicas para que o produtor tente minimizar as perdas em situações de baixa umidade. 

Os efeitos na produtividade

O engenheiro agrônomo César Pirajá Figueiredo que percorre regiões produtoras como Cerrado, sul de Minas e Mogiana, diz que ficou impressionado ao ver a quantidade de plantas em que não houve o pegamento. "Com pouca chuva, a flor não abriu, ficou seca, sem gerar o fruto”, conta. Segundo ele, em média, nestas regiões, a queda na produtividade deve chegar a 20%. “Mas há propriedades em que a perda chegou a 40%", diz. 

Além dos problemas na florada, agora em janeiro, mais um período seco trouxe preocupação, com chuva abaixo da média e temperaturas ainda mais altas.  Houve prejuízo ao desenvolvimento do fruto, o que poderá afetar a qualidade da peneira. O desenvolvimento vegetativo também foi afetado, o que pode impactar na safra do ano que vem.

Dados recentes divulgados pela consultoria StoneX confirmam este cenário. A safra de café 2021/2022 foi estimada em 51,4 milhões de sacas, uma queda de 21,1% em relação ao ciclo anterior que teve produção recorde. 

Manejo adequado pode reduzir perdas

Plantas mais saudáveis, com mais folhas e raízes tendem a sofrer menos com o stress hídrico. Nas visitas as propriedades, Figueiredo diz que verificou muitos casos em que o prejuízo foi mínimo. "Quem tinha sofrido mais com pragas e doenças e desfolha, foi mais impactado pela falta de chuva”, destaca.

Para minimizar os danos da falta de umidade, o segredo é ter um manejo mais adequado. Ter um bom teor de matéria orgânica no solo, favorecendo as raízes da planta, é uma forma de armazenar água, por exemplo. 

Outra medida que pode ajudar e muito é utilizar produtos de nutrição vegetal. "Insumos a base de extrato de algas e aminoácidos, conseguem poupar a energia da planta” explica o agrônomo. 

Evitar a compactação do solo é outra recomendação, além de garantir uma nutrição equilibrada nos cafezais. "Desta forma, é como se as plantas ficassem mais eficientes no uso da água", ressaltou.